CURTA NOSSA FAN PAGE

9 de agosto de 2012

Orson Welles criou um monstro: a nova versão de Batman


Christian Bale e Tom Hardy na pele de Batman e Bane
 Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge está no Guia da Revista Veja com três estrelas, não sei se isso é bom ou ruim, mas existe uma série de filmes com uma ou duas que gostei bastante. Muito bem, com certeza, por essa premissa, a película do Morcegão seria ótima, certo? Engano! Talvez seja o filme de herói mais insuportável que já assisti em toda a minha vida cinematográfica. Nada me empolgou, nem mesmo Anne Hathaway conseguiu virar o jogo.

Para dizer a verdade, nem sei como fazer uma sinopse sobre o filme diante de tantas histórias explicações, flash-backs, mas vou tentar: Batman, que é um sujeito deprimido por natureza, se isolou em sua mansão após o fim dos crimes em Gotham City. Mas uma nova ameaça aparece, o brutamontes Bane que deseja dominar o mundo, acabar com Gotham e executar todos os clichês de filmes de super-heróis. Ah, e tem a ladra Kyle (Hathaway) para ajudar o Morcegão e um sujeito chamado, nas últimas cenas, de Robin.

A ladra charmosa, Anne Hathaway
Então, se prepare para uma história confusa e um herói fraco.  Batman apanha, leva na cara, fica pobre, é roubado, sua digital é falsificada, não anda direito, fica preso por horas e horas, chatinho, até corno ele é. Nem aquele sujeito galanteador e esperto ele é mais. A única coisa que Batman não é, com certeza, é super-herói.  Fora que Orson Welles criou um monstro!

Vou explicar melhor essa história. Orson foi o diretor de Cidadão Kane, de 1941, inovou por contar uma história a partir de flash-backs (cenas de períodos anteriores do personagem usadas para explicar o presente), por isso é considerado o Pai dos Flash-backs. E tal elemento narrativo é explorado aos montes no filme. E já perceberam, me incomodou.  Esgotou!

Por isso, por favor, vá fazer outra coisa, mesmo que se sinta extremamente movido a ver o herói da sua infância, como foi da minha. Mas nada vale a pena, fora que nas cenas de tiro, fiquei olhando se alguém entrava com uma arma na mão e fosse atirando na sala. Neurores urbanas, fazer o quê!?

Minha opinião: ¬¬

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.