Agende-seliteraturateatroteatro em sp

A peça Grande Sertão: Veredas estrelada por Caio Blat – Blog e-Urbanidade

Em cena Luiza Lemmertz e Caio Blat, Diadorim e Riobaldo. Foto: Divulgação – Approach

Depois de Boca de Ouro, mais uma vez o teatro nos permite o encontro de dois realizadores com características próprias. O espetáculo Grande Sertão: Veredas, em cartaz no Sesc Consolação, mostra a apropriação e transposição da diretora teatral Bia Lessa do discurso e do universo de Guimarães Rosa em uma montagem inovadora e que consegue o feito de expandir o clássico brasileiro.

Uma grande estrutura tubular montada no Centro de Convivência do Sesc que lembra um claustro, uma gaiola,   é o palco das guerras e divagações do herói Riobaldo (Caio Blat).  Durante o dia e nas noites que não têm espetáculo o espaço está aberto para visitações, montado com 250 bonecos de feltro com tamanho humano, criados pelo aderecista Fernando Mello da Costa, confeccionados com apoio do Instituto-E | Om Art.

Com fones de ouvido, o assistidor participa de uma imersão no universo proposto, composto por sons de animais, sonoplastia, música e a fala dos atores. Os 160 minutos têm o elenco em cena durante toda a montagem, composto ainda por Luíza Lemmertz, Luísa Arraes, Leonardo Miggiorin, Leon Góes, Balbino de Paula, Daniel Passi, Elias de Castro, Lucas Oranmian e Clara Lessa. Para dar vida ao mítico sertão, Bia reuniu nomes como Egberto Gismonti (música), Camila Toledo (concepção espacial, com a colaboração de Paulo Mendes da Rocha), Sylvie Leblanc (figurino) e Fernando Mello da Costa (adereços)

Sendo preparados em ensaios diários durante quarenta dias, a preparação dos atores é um dos mais relevantes pontos de Grande Sertão: Veredas. A concentração em cena e o cuidado com os detalhes revela um elenco concentrado e maduro.

Quando Riobaldo revela a sua questão transcendental – existe Deus (ou o diabo) – e saí em busca de respostas compartilhando acontecimentos da sua vida, com metalinguagem, a identificação com o herói é simultânea e o célebre texto de Rosa vai se descortinando, se revelando sábio e atual. O amor de Riobaldo e Diadorim, escrito em 1956, é inovador e ainda está na ordem do dia.

A peça Grande Sertão: Veredas renova o discurso do escritor, pois, sejamos sinceros, a leitura do livro não é fácil, a montagem se relaciona com outra obra em cartaz em São Paulo, Boca de Ouro. Além de ser o olhar de dois diretores de características próprias sobre grandes clássicos brasileiros, são obras gestadas na mesma época.

Também a montagem tem aproximação com Agreste de Newton Moreno, além do uso da metalinguagem, a virada final nas duas histórias revelam o preconceito e o amor.

Por fim, quando Riobaldo termina suas questões sobre a metafísica e o jogo cênico extremamente rico proposto por Lessa é marcado com a nudez do seu protagonista, revelando que o fim chegou, não há dúvida que não é de Deus (ou do diabo) que devamos temer.

Para concluir, a peça está esgotada no teatro SESC Consolação. Se for persistente, pode-se chegar cedo e ficar na fila dos ingressos dos desistentes. De qualquer forma, não deixem de ver a instalação montada disponível fora dos horários do espetáculo. A montagem segue para o Rio de Janeiro, com apresentações em janeiro a março, no CCBB Rio.

SERVIÇO
GRANDE SERTÃO: VEREDAS
De 9 de setembro a 22 de outubro de 2017
Sesc Consolação – Rua Doutor Vila Nova, 245 – Vila Buarque

Espetáculo
Quintas a sábados e feriado, às 20h30. Domingos, às 18h30
R$40. R$20 (meia-entrada: estudante, servidor de escola pública,  mais de 60 anos, aposentado e pessoa com deficiência). R$12 (credencial plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).
Classificação: 18 anos

Instalação
Segunda a quarta, 11h às 21h30. Quintas e sextas, 11h às 19h30. Sábados, 10h30 às 19h.
Capacidade: 100 pessoas
Classificação: livre

Exibir mais

Celso Faria

Idealizador e responsável pelo e-Urbanidade. Escritor e agitador cultural. Durante o dia trabalha com muitas planilhas financeiras para depois acompanhar o que acontece no universo cultural e de entretenimento de Sampa e de outras cidades.

Posts Relacionados

2 thoughts on “A peça Grande Sertão: Veredas estrelada por Caio Blat – Blog e-Urbanidade”

    1. Thelma, como vai? Obrigado por participar do blog e-Urbanidade.
      Ainda não existe nenhuma divulgação oficial, mas inicialmente falou-se que iriam para o CCBB do Rio.
      Recomendo seguir o instagram @grandesertaoveredas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *